Siemens acredita que, o padrão da aviação será de aviões elétricos

A indústria da aviação tem investido pesado na construção e desenvolvimento de aeronaves elétricas. E a eAircraft USA, subsidiaria da Siemens...
Erfolgreicher Jungfernflug: Erstmals fliegt ein Flugzeug der Zertifizierungs-Kategorie CS23 mit Permit-to-Fly rein-elektrisch. Der Siemens-Motor hat eine Leistung von 260 Kilowatt und ein Gewicht von nur 50 Kilogramm – damit verfügt er über ein Rekord-Leistungsgewicht. For the first time ever, a plane in the certification category CS23 flies with Permit-to-Fly purely electric. The plane is powered by a 260 kilowatt Siemens motor that weighs a mere 50 kilogramm – a record-setting power-to-weight ratio.

A indústria da aviação tem investido pesado na construção e desenvolvimento de aeronaves elétricas. E a eAircraft USA, subsidiaria da Siemens, confia no sucesso dos motores elétricos, afirmando que viagens com aeronaves elétricas devem se tornar padrão no mercado até o ano de 2050.

Inicialmente as viagens devem ser de curta distância, pelo menos é o que comenta Teri Hamlin, vice-presidente da eAircraft USA, empresa que desenvolve motores e sistemas de propulsão  elétrica para fabricantes de aeronaves. Teri participou da Siemens Industry Analyst Conference 2018, realizada em Boston, EUA.

Pode-se dizer que a aviação elétrica conseguiu colher bons frutos nos últimos anos, por exemplo, desde 2016 a eAircraft realiza testes com aeronaves de pequeno porte, como o Extra 330LE, que é um modelo acrobático que usa motores de propulsão elétricos. Entretanto quando se pensa em distancias, a empresa acredita que aceitação das aeronaves elétricas devem acontecer apenas em meados de 2025.

Durante o evento, a eAircraft comentou que o maior desafio para alcançar esse objetivo esta no desenvolvimento de baterias de longa duração e a confecção de motores com potência para a atividade, neste segundo caso a empresa tem conseguido superar as expectativas.

O motor SP260D-A, alcançou consistência de energia de 5,9 kw/kg (quilowatts por quilograma). O que é um grande salto comparado com equipamentos tradicionais que chegam a apenas 1kw/kg.

E graças ao bom desempenho, o motor sp260D-A será utilizado no CityAirbus, um táxi aéreo de transporte urbano que tem previsão de teste tripulado para 2019.

Quando o assunto é voos de longa distância, o mercado estipula criar soluções híbridas. Uma das sugestões é a criação de um motor de combustão que geraria energia elétrica para alimentar o motor elétrico. Outra opção apresentada é de um motor elétrico que seria usado para fornecer rotação e auxiliar na combustão do motor principal em momentos de pico de performance. Mas esses são planos que devem demorar mais de uma década para saírem do papel.

Como vivemos um período que o tema sustentabilidade e meio ambiente são bem latentes, Teri aproveitou o momento para salientar esse dado, enfatizando que os aviões elétricos prometem reduzir consideravelmente a emissão de gases poluentes, sem contar o baixo custo de manutenção, mudanças mais incisivas no design das aeronaves, dando maior liberdade de posicionamento dos propulsores com tecnologia.

A IATA (Associação Internacional de Transportes Aéreos), apresentou um dado que dizia que, uma viagem de São Paulo para Miami, despeja cerca de 693,94 kg de CO2 na atmosfera. Logo se empresas com a eAircraft obtiverem sucesso em suas criações de modelos elétricos, a frota será muito mais sustentável do que as aeronaves atuais, degradando bem menos nosso meio ambiente. Agora nos resta esperar e ver a evolução tomar seu lugar.

Fonte: Olhar Digital

 

Compartilhe
error

Posts Relacionados

Categorias
Aviação Experimental
Sem comentários

Leave a Reply

*

*

POSTS RELACIONADOS

EnglishPortugueseSpanish
Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial